Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casa da Ju

Um blog sobre DIY, Costura, Livros, Filmes e mim…

Casa da Ju

Um blog sobre DIY, Costura, Livros, Filmes e mim…

Os G's têm 12 anos. Começam a ter liberdade. Liberdade de movimentos. Andar de bicicleta por aqui. Irem ter com os amigos á vontade deles. Estudar sem que lhes tenhamos que dizer a toda a hora. Faz parte do crescimento.

Então, qual é o problema? O problema é que temos entregue alguma da liberdade na expectativa de ver a responsabilidade. E esta ainda é muito ténue. Como fazer para que cresça? Para que se desenvolva? Sem parecermos um disco partido, que acaba todas as conversas com um sermão? Porque sinto isso. Sinto mesmo isso. Que estou chata. Eles também acham. Reclamo muito. Reclamo muito das mesmas coisas. Como fazer para não ser esta chata? Não gosto de me ouvir...

Dúvidas, dúvidas...

Cá em casa a hora do estudo, dos trabalhos de casa não é normalmente fácil. Há falta de vontade, falta de ânimo e num dos casos há preparação insuficiente de anos anteriores, o que dificulta tudo ainda mais.

Com um as coisas corriam relativamente bem. Alguma facilidade de aprendizagem, boa memória e muito pragmatismo (leia-se abordagem "já que é que para fazer, faça-se num instante") facilitavam tudo. Os resultados eram bons, apenas não excelentes porque faltava aquele "extra mile" de estudo. Não somos pais fundamentalistas, desde que estejam a ficar bem preparados e que tenham alguns hábitos de trabalho tudo tranquilo. Há que ter tempo para tudo, brincar e estudar. O importante é garantir que no dia em que seja mesmo necessário esse "extra mile" os resultados possam aparecer.

Com outro sempre tudo mais díficil. Pouca vontade aliada a muita insegurança faziam da hora do estudo uma dor. Dor para nós e para ele. Resultados sempre dificeis e muito, muito acompanhamento.

Este ano com o primeiro tudo se complicou. Alguma síndrome de pré-adolescência com aquele ar de "eu sei" têm tornado tudo mais complicado. Decidimos confiar nele para a primeira ronda de testes. Não o temos pressionado. Pensamos que os resultados não serão maus mas não serão animadores. Pensamos que pode servir de lição. Pode parecer calculista e frio, mas às vezes por muito que nos custe, eles têm que aprender por eles próprios. Hoje começou essa aprendizagem. Dói. A nós e a ele.

Com o segundo tudo se simplificou. Um clique qualquer e de repente os trabalhos aparecem feitos. Com alguns solavancos. Com muitas inseguranças. Com matéria anterior não bem trabalhada. Mas com boa vontade. Com algum esforço. Temos ajudado. Temos suportado. Muito reforço positivo. Alguma ansiedade com os resultados. Há que estudar mais, trabalhar mais, compensar. Não é fácil. É preciso aprender algumas coisas de novo. Ganhar carapaça para os resultados menos bons que ainda vêm antes dos bons que hão-de vir. Essa carapaça não é fácil. Exige uma aprendizagem para resistir à frustação. Hoje começou essa aprendizagem. Dói. A nós e a ele.

Raios...